Robin Hood And The Bishop

Robin Hood and the Bishop (em português: Robin Hood e o Bispo) é a balada n° 143 da coleção Child Ballads, pela qual se descreve uma aventura de Robin Hood. Esta canção faz porção da arrecadação realizada por Francis James Child de inúmeras baladas conhecidos, consideradas, em seu tempo, uma ameaça para a religião protestante.

Escritores puritanos, como Edward Dering em 1572, consideravam tais contos como loucuras para garotas e bobagens. A escrita das baladas é posterior à redação de A Gest of Robyn Hode, ainda que Child reconhece que as inúmeras variações da história, lhe produziram-se que os novos relatos se tornaran tristes, e às vezes desagradáveis.

Como muitas delas aconteceram em versões mais pequenas, e com meios de publicação mais paupérrimos, deveriam ser julgadas na pobreza de teu assunto. Child assinalou, além do mais, que as coleções de Roxburghe e Pepys (nas quais muitas das canções que ele mesmo coletou estão incluídas), eram verdadeiras montes de esterco, com jóias de médio valor.

Child e outros eram obrigados a incluir tais contos em tuas coleções, já que pensavam que se aproximam da tradição e não amparar a gerar uma reflexão. Por outro lado, as outras baladas davam certas margens que, o jurista John Selden anuncia, permitem ver de perto como o vento se assenta.

Igual se toma uma palha e se lança pelos ares, você vai enxergar para onde vai o vento, mas não da maneira que seria atirando uma pedra. Mais coisas sólidas não são mostrados pela constituição dos tempos de uma maneira tão especial como é em baladas e libelistas. Estas algumas baladas servem para ver a visão dos contemporâneos desse escrito, de seus feitos e suas tendências famosos.

  1. Motoras: São as encarregadas de produzir a contração da musculatura
  2. Turned off access to lexicographical data from the clients for now (phab:T178904)
  3. três UML 2.x
  4. Morre o arquiteto François d’Orbay, o que aconteceu Mansart
  5. DS Lite: Stylus, correia para o pulso (só no Japão)

A isso se adiciona que ele não se rebela contra as regras da comunidade, contudo que sustenta a esta através da generosidade, a dedicação e a bondade. Outros estudiosos têm visto pela literatura em redor desse personagem o reflexo dos interesses das pessoas comuns contra o feudalismo. Em um dia ensolarado, Robin Hood está andando na floresta em pesquisa de diversão quando se fornece conta da passagem do séquito de um bispo orgulhoso.

Longe de seus homens, Robin tem horror de que o bispo o quebra ao vê-lo e pegá-lo. Olhe ao seu redor e vai pra moradia de uma velha senhora, pedindo a sua ajuda (em troca de um presente, o anterior, onde tinha feito um presente de sapatos e meias) para acobertar-se do bispo. Trocam de roupas, e, logo após, Robin começa a ver para os seus homens, sendo avistado à distância por Little John, que acha que é uma bruxa e pensa em matá-lo, até que ele revela sua identidade. Enquanto isso, o bispo chegou à casa, a velha e leva-se para a velha, acreditando que é Robin, e, abandonando o setor a cavalo.

mas, mais tarde, se localiza com uma centena de arqueiros sob uma enorme árvore e, para tua consternação, a idosa se encontra e identifica o palpável Robin Hood. Antes que o bispo possa dar no pé, Robin, o chama para continuar, leva o seu cavalo pelas rédeas e o amarra a uma árvore. Posteriormente, ele rouba quinhentas libras que o bispo tinha em seu manto e deixa-o deslocar-se bem que, todavia Little John exigem que esse realize uma Missa para eles. Robin e seus homens ligam ao bispo a uma árvore e o obrigam a celebrar a eucaristia, pra depois uni-lo de volta em seu cavalo e Robin pede sarcasticamente que ore por ele.

↑ Watt (1993), pp. ↑ Watt (1993), pp. 39-40, comentando Edward Dering, A brief and necessary instruction (1572), sig.A2v. ↑ Holt (1898), pp. 20731/xml Transcrição do texto em uma das versões da coleção Pepys no Magdalene College da Universidade de Cambridge.