O Debate De Investidura De Pedro Sánchez Será No Dia 22 E 23 De Julho

Já há data para o debate de investidura. O dia vinte e dois desse mês será o discurso do candidato do PSOE e 23 da votação. A presidente do Congresso, foi dado a perceber o calendário, depois de falar por telefone com Pedro Sánchez, que segue nessa terça-feira em Bruxelas, onde escreveu no Twitter.

Segundo explicou Meritxell Batet, o debate terá início às 12h00 de segunda-feira, 22, e será retomada no mesmo dia às 16:00 horas, com a intervenção dos grupos parlamentares do maior para o menor. O dia chave será a terça-feira, vinte e três de julho, quando será realizada a primeira votação. Caso o candidato não obtenha a maioria absoluta, você terá de reforçar 48 horas depois, quinta-feira, 25 de julho, onde somente será necessária a maioria acessível (mais síes que noes).

Se você bem como não sai eleito por maioria claro no dia 25, o relógio começa a correr, poderia ter eleições em 10 de novembro. Se o candidato não consegue ser investido, em vinte e quatro de setembro, assinou um decreto de dissolução das Cortes e dez de novembro, poderão ser celebrados algumas eleições. Batet reconhece que se tiveram em conta os cálculos para uma repetição eleitoral e assim como para oferecer margem ao candidato para achar apoio.

Garante que também tem levado a cada um dos grupos da data fixada para a posse. No entanto, desde Unidas Podemos manifestar que não receberam nenhuma mensagem “ou o Whatsapp, ou As nem sequer de texto pro smartphone do Congresso. Nem uma ligação”, dizem a laSexta.

  • Abolir a imunidade parlamentar
  • 3 Poderes jurídicos
  • um de janeiro: Sexta Bateria de Montanha (Coletiva), Artilheiros de Lagos
  • 2 suposição 2.1 Primeiro Wittgenstein, o Tractatus logico-philosophicus

Também o porta-voz Irene Montero argumentou no Twitter. E garante que Sanchez se dirige a uma investidura falhada “para pressionar Cidadãos”. O líder do Partido Popular foi acusado Sánchez de estar forçando recentes eleições, o que, a teu juízo, seria uma “espaçoso responsabilidade”.

Casado garante que o que acontecer em Navarra, com o PSN e EH Bildu, vai preservar o que acontecer em Portugal. Rivera pede a Sánchez “que parar de fugir da perdiz” e que negocie para formar Governo. Também Albert Rivera, de Cidadãos, se pronunciou. Denuncia a paralisia das corporações e acusa Sánchez de não estar “fazendo nada”.

Nós ameaçados a negociar e diz que “não se podes perder mais tempo, bater em retirada da perdiz”, e acrescenta que está bloqueando a circunstância de “tua incapacidade” pra formar um governo. O debate será atingido quase três meses depois das eleições do dia 28-A. E, no momento, Pedro Sanchez não conseguiu somar os apoios necessários. Tem os 123 de seu partido, o partido socialista, e mais um, o do Partido Regionalista de Cantabria.

A data de hoje não tem o claro suporte de teu “parceiro preferencial”, Unidas Podemos. Pablo Iglesias insiste em formar um Governo de coalizão, no entanto o PSOE nega, retumbante e lhe foi oferecido um “Governo da cooperação”, com cargos na Administração, porém não no Conselho de Ministros. As posições Unidas Podemos continuam afastadas e Sánchez ainda não conta com os seus votos.

As posições estão tão distantes que até Unidas Podemos não descarta votar contra Sánchez pela primeira votação, segundo asseguraram os socialistas após a última reunião de seu candidato com Igrejas. O líder poderá, entretanto, um dia depois, falou que o Governo de coalizão está mais perto do que parece “, bem que tenha que aguardar dois meses e meio”, em segunda votação, em setembro.